23 de setembro de 2014

Ás falsas amizades






O que seria de mim sem voces?
 Normalmente culpo-vos e condeno-vos por nao terem sido verdadeiras, por terem feito promeças que nao cumpriram e pela que me causaram.
Peço perdao por vos condenar, afinal sao as cicatrizes que mostram ao homen o tamanho da sua força, sao voces, falsas amizades, que me mostram o valor das verdadeiras. 
Ás falsas amizades, o meu agradecimento, pois a cada apunhalada pelas costas que levei de voces, a cada tombo que por vossa culpa dei, tive a grande oportunidade de apanhar pessoas que me ajudaram a levantar e superar a dor. 
Obrigada, pois graças ao vosso falso amor fui capaz de apanhar o verdadeiro.
Que venham muitas mais de voces, acompanhadas de grandes liçoes.

Beijos da vossa "amiguinha otaria"